Dicas para fotografar a sua família

Meu pai gastava rolos de filmes, nos anos 70 e 80, pra fotografar a nossa família, nossos momentos e alguns eventos de que participávamos.

Não havia celular, mas havia câmeras bastante baratas para quem quisesse registrar seus instantes. O meu velho optou pela compra de um Olympus Pen, que fazia foto em “meio quadro”, ou seja, fazia uma cartucho de 36 poses render 72! As atuais câmeras micro quatro terços são uma evolução deste conceito.

Eu e meu irmão. Foto tirada pelo meu pai.

Usar o celular ou uma câmera dedicada?

Sob o ponto de vista tecnológico, tanto faz!

Qualquer celular tem qualidade mais do que suficiente para fazer o trabalho. Mas o ponto não é a qualidade técnica ou o avanço tecnológico.

É muito fácil se distrair com o celular na mão — com mensagens, e-mails, trabalho, redes sociais etc — Uma DSLR ou uma mirrorless ajuda você a se concentrar no instante.

A ideia do momento em família, é justamente deixar o celular longe, guardado, no silencioso ou desligado.

E, sim: a qualidade superior das imagens de uma câmera dedicada pode ajudar a obter impressões de melhor qualidade, futuramente.

Uma câmera dedicada pode também ser um investimento duradouro, que pode ajudar a manter a consistência da sua fotografia por várias décadas.

Mantenha a sua câmera próxima

É importante se certificar-se de que você mantém a sua câmera sempre por perto.

Permita o hábito de estar sempre acompanhado da sua câmera se estabelecer na sua vida.

Os momentos podem surgir durante uma brincadeira trivial e ela vai estar lá pronta para registrar.

Se vão sair, leve sempre a “maquininha”. Você nunca sabe o que vai surgir.

Eu e os meus filhos, fazendo palhaçada na frente da câmera.

Saiba a hora de guardar a câmera

Se há um profissional encarregado de registrar o evento, você pode deixar a sua câmera guardada, além de desligar o celular. Aproveite para vivenciar o momento.

Também não seja um daqueles chatos que acreditam que seus filhos são mais importantes do que os dos outros. Seja sensível e não atrapalhe o instante, apenas por que você precisa fazer o seu registro.

Você pode perguntar ao profissional sobre como contatá-lo depois, para obter as fotos da sua família.

Não perca as ocasiões especiais

Além das datas festivas, em família, como o Natal, a Páscoa, os aniversários, fique atenta(o) aos instantes na escola. Registre também quando seus filhos ou sobrinhos ganharem uma bicicleta, uma bola ou qualquer outro brinquedo.

São momentos perfeitos para obter imagens autênticas, naturais que darão ótimas fotos para os álbuns.

Comece cedo!

Acho importante fotografar de manhã, tanto externo quanto dentro de casa. Há várias vantagens nesta abordagem: a luz (do sol) é boa, as crianças (e você) estão descansados(as) e bem alimentados, depois do café da manhã.

Eu não costumo contar com horários à tarde, por que o dia pode ter sido estressante e isso vai acabar se refletindo nas fotos.

Os momentos triviais, no meio da bagunça do café da manhã, também merecem registros.

Não se esqueça de envolver toda a família

Muitas famílias têm aquela pessoa que está sempre por trás da câmera — na minha, era o meu pai.

Certifique-se de revezar este “trabalho”, para que todos participem e sejam registrados. Estas imagens serão importantes para os seus, quando estiverem crescidos.

Você pode usar o timer da câmera e um tripé (uma mesa, também resolve) para apoiar a câmera. Assim, todo mundo vai aparecer na foto.

Ensinar e permitir que seus filhos usem a câmera, pode trazer perspectivas diferentes às fotos de família. Dê uma chance a isso. A câmera pode criar um laço a mais entre você e as crianças.

Pelo fato de ser um instrumento de trabalho para muitas pessoas (para mim, é), o celular pode não ser o ideal para colocar nas mãos de crianças pequenas.

O trivial

Além das especiais, não deixe de registrar as ocasiões mais corriqueiros da vida em família. Filhos dormindo, tomando o café da manhã, se arrumando pra ir pra escola (ou para uma festa), assistindo à TV, durante o banho etc.

A rotina também faz parte da história da família. Não deixe a rotina fora do álbum.

Use o ambiente para contar a história

Retratos, sempre são legais.

Mas as fotos podem ser mais interessantes se puder incluir mais elementos do local e do ambiente. Inclua também os seus brinquedos favoritos.

Entre as “ondas” de calmaria da pandemia, que começou em 2020, pude fazer algumas fotos de batizados. Alguns pais perguntaram se todos deveriam usar máscaras durante as fotos ou não. Eu disse “por favor, usem!”

Criança usando máscara, olha para a câmera.
Uma cena de um batizado, durante a pandemia. Ele vai ter uma história e tanto para contar, em algumas décadas.

A verdade é que este é um momento único. Poder contar, daqui a algumas décadas, que se batizou no meio de uma pandemia e poder mostrar as fotos com todos os membros da família de máscara vai ser realmente incrível. Vai milhares de outros momentos para mostrar sorrisos.

Portanto, não remova a história das suas fotos.

Dê atenção a detalhes e ângulos interessantes

Às vezes, é possível capturar a essência de um momento, sem mostrar um rosto. Procurar ângulos e perspectivas diferentes, pode revelar instantes interessantes ou, mesmo, incríveis.

Experimente fotos em preto e branco!

Tem um bebê? Já tirou uma foto só da mãozinha ou do pezinho?

Dê atenção à luz

Eu sou dos que preferem a luz natural, sempre que possível. Mas, para isso, preciso estar atento à posição da luz, para obter pontos de vista atraentes.

Se estiver em ambiente externo, procure algum local com sombra, para obter uma luz mais suave.

Fotografe as crianças na altura delas

Fotos de crianças (e dos pets também) podem ficar mais interessantes, se você se abaixar, se agachar, para ficar na altura delas. Principalmente se estiverem olhando para dentro das lentes, no momento do clique.

Foto feita com uma das primeiras câmeras digitais que tive

Imprima as suas fotos

Não se esqueça de imprimir as suas fotos com frequência. As mini impressoras fotográficas podem ajudar a montar todos os álbuns de família. “Revelar” nas lojas de impressão de fotos, costuma ser mais barato, contudo. Eu uso as duas opções.

Imprimir em papel fotográfico vai ajudar a manter as suas memórias por um tempo muito mais prolongado. Não confie apenas na memória do celular ou no armazenamento na nuvem.

Uma dica a mais é ter um mural ou porta-retrato de “varal” (a) para pendurar suas fotos. E são fáceis para trocar ou adicionar outras.

A importância do backup

Não confie demais nos serviços de armazenamento online (na nuvem). Mantenha o seu próprio backup.

Fique atento à evolução das tecnologias de armazenamento físico de dados. Eu já usei CDs, DVDs e pendrives para manter cópias de segurança das minhas fotos. Atualmente, uso HDDs.

Se divirta e tenha paciência

Se for pra pegar na câmera, certifique-se de que vai se divertir.

Se as crianças estiverem cansadas e o humor não estiver ajudando, deixe a câmera de lado. Vai ser muito difícil as fotos ficarem boas, nestas condições.

Leia mais sobre as técnicas para fotografar famílias.

Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Russian Doll". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Post comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: