Uma estação de edição de imagens com softwares livres e gratuitos

Recentemente, troquei o meu Dell Inspiron 5448, com um processador i7 e uma placa secundária de vídeo AMD Radeon M270, com 6 anos de uso, por um Lenovo E490 e uma placa gráfica Intel® UHD Graphics 620.

Falei mais sobre isso no post Adeus Dell! Bem vinda, Lenovo!, se tiver mais curiosidade sobre o tema.

No post de hoje, vou contar como transformar um notebook ou um PC de mesa em uma estação de edição de imagens (e vídeos), usando apenas softwares livres.

Nos meus exemplos, mostro como realizar os procedimentos no GNU/Linux e a minha distro favorita: Debian.

Se você usa outro sistema operacional, como o Mac ou o Windows, basta seguir os links para baixar o software adequado para o seu contexto.

Se você usa uma distro Linux diferente da minha, como o Fedora, ou OpenSUSE etc. use o gerenciador de pacotes da sua distribuição para baixar e instalar os softwares.

A configuração do sistema

A máquina é construída em torno de um processador Intel Core i3 8145u 2,10 GHz, que faz parte da 8a geração de processadores i3, da marca. Tem 2 núcleos e capacidade de execução de 4 threads por núcleo.

Tem uma placa gráfica integrada Intel UHD Graphics 620, com capacidade técnica de exibir vídeos a 4K@60Hz, o que significa que há um bom espaço para upgrade futuro do meu monitor.

No armazenamento, a máquina tem um SSD NVMe de 128 GB, que ajuda a carregar mais rapidamente os arquivos RAW para a memória.

Os primeiros upgrades foram o da memória (de 8 GB para 16 GB) e a inclusão de um HDD de 500 GB. O que não couber aí dentro, vai para o HDD externo.

A configuração tem espaço para crescer. Além de ir para um monitor 4k, futuramente, o sistema permite adicionar até 64 GB de memória, dos quais 32 podem ser dedicados à placa gráfica. Além disso, a capacidade de armazenamento pode aumentar, de acordo com os limites do bolso.

Se você estiver instalando em um laptop que fica em cima da mesa (como um desktop), sempre plugado na tomada, pode ser uma boa ideia ajustar o consumo de energia para obter mais desempenho do que economia — pelo menos, quando estiver fazendo edição mais pesada.

Se você usa o laptop fora da tomada, as tarefas de edição e pós-processamento consomem vorazmente os recursos do sistema. Use “Economia de energia”, se preferir otimizar a carga da bateria.

Instalação dos drivers

Infelizmente, esta é uma máquina que veio com “outro sistema operacional” instalado. Significa que pude escolher a minha distro GNU/Linux favorita para instalar.

Mas, ao contrário dos computadores que já vêm com alguma distro Linux pré-instalada, você vai precisar se certificar de que todos os drivers estejam presentes.

Atualmente, a minha favorita é a Debian testing e, felizmente, tudo correu bem com a instalação padrão. E todos os drivers foram instalados automaticamente.

Instalação dos aplicativos de edição de imagens

Basicamente, uso 2 softwares de edição: Darktable e GIMP.

Tela de edição do software Darktable.
Tela principal de edição do Darktable

O primeiro é ótimo para manipular uma grande quantidade de imagens. O segundo é o mais indicado para fazer retoques e ajustes mais delicados ou pontuais.

Uma excelente alternativa ao Darktable, é o RawTherapee.

O pacote ImageMagick tem uma série de ferramentas para executar na CLI (no terminal) e pode ser uma forma de fazer trabalho pesado rapidamente, sem consumir muito recurso da máquina.

No Debian, faça a instalação com o apt:

sudo apt install darktable gimp imagemagick

Opcionalmente, instale alguns pacotes complementares ao GIMP:

  • gimp-data-extras – um pacote de pincéis e padrões extra
  • gimp-plugin-registry – uma série de extensões e plugins para o GIMP
  • gimp-texturize – software para gerar texturas maiores a partir de amostras pequenas
  • gimp-lensfunplugin que usa as informações da biblioteca “lensfun” para corrigir distorções de lentes (aberrações cromáticas, etc) na sua fotografia
  • gtkam-gimpplugin para abrir imagens diretamente da câmera

Eu uso apenas os 2 primeiros itens desta lista. Portanto, o comando de instalação, para mim, é o seguinte:

sudo apt install gimp-data-extras gimp-plugin-registry

Para quem pretende “escanear” fotografias, para a edição, instale o xsane — um conjunto de interfaces de scanner.

Captura de tela do software GIMP.
Tela de edição padrão do GIMP.

Software para criar panoramas

O Hugin é um software incrível para editar fotos em panorama.

Você insere a sequência, na ordem desejada, que o Hugin “costura” tudo, formando uma única imagem, de altíssima resolução e com excelente qualidade, em uma foto panorâmica.

O Hugin também faz as correções de perspectiva e das distorções das lentes para você.

Para instalar no Debian/Ubuntu, usamos o apt:

sudo apt install hugin

Aplicativos de edição de vídeo

Com a configuração que eu tenho, editar vídeo em 4K está “meio” fora de questão, principalmente na interface gráfica. Mas, ainda é possível fazer muita coisa com vídeos em HD ou FullHD, com alguns pacotes de softwares, presentes na maioria das distro: KDEnlive, OpenShot, Pitivi etc. Sirva-se à vontade!

Contudo, as minhas necessidades de edição de vídeo são muito modestas e primárias. O máximo que preciso fazer é recortar, cortar, concatenar, remover/adicionar audio ou, eventualmente, aplicar uma câmera lenta (slomo).

Se você precisa de muito mais do que isso, recomendo usar um daqueles softwares, mencionados no início deste tópico.

O ffmpeg é uma ferramenta de linha de comando (CLI) que faz o que preciso. Usualmente, abro um terminal e executo o comando ffmpeg com os parâmetros necessários sobre um arquivo de vídeo e vou trabalhar em outra coisa. Ele não sobrecarrega a máquina, não trava, não congela, não afeta a capacidade de processamento, é praticamente invisível enquanto trabalha.

Se quiser, instale o mpv para visualizar conteúdo em vídeo/áudio direto na CLI.

No Debian, a instalação pode ser feita através do apt:

sudo apt install ffmpeg mpv

Conclusão

Resista à instalação de software desnecessário. Mantenha o seu ambiente enxuto e com bastante espaço para os seus arquivos. Apesar disso, caso tenha dúvida entre o Darktable e o RawTherapee, instale os dois. Experimente por alguns meses e, se quiser, faça a sua escolha depois.

Como você pode ver, não é necessário ter muita coisa em uma estação de edição de imagens.

Em termos de hardware, vale a pena economizar um pouco no lado do PC/notebook, para investir em uma tela secundária, grande, que permita ver mais detalhes das suas imagens.

Se você aplica muitos retoques, com o GIMP, pode também ser útil ter um mesa digitalizadora.

Referências

Site oficial para baixar e instalar o Darktable: https://www.darktable.org/install/.

Site oficial para baixar e instalar o RawTherapee: https://www.rawtherapee.com/downloads/.

Site oficial para baixar e instalar o GIMP: https://www.gimp.org/downloads/.

Página do projeto ffmpeg: https://www.ffmpeg.org/download.html.

Página do projeto Hugin: https://hugin.sourceforge.io/download/.

Guia Lenovo para instalação do Ubuntu no seu laptop: https://download.lenovo.com/pccbbs/mobiles_pdf/tp_p1_gen2_ubuntu_18.04_lts_installation_v1.0.pdf (PDF).

Processador Intel Core i3 8145u: https://www.intel.com.br/content/www/br/pt/products/sku/149090/intel-core-i38145u-processor-4m-cache-up-to-3-90-ghz/specifications.html.

Análise do processador, no Askgeek: https://askgeek.io/pt/cpus/Intel/Core-i3-8145U.

Informações sobre a placa gráfica Intel UHD 620: https://www.intel.com.br/content/www/br/pt/search.html?ws=text#q=Intel%20UHD%20Graphics%20620&sort=relevancy.

Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Russian Doll". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Post comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: