Como emular o MacOS no Linux

O MacOS é um sistema operacional proprietário, desenvolvido pela Apple, desde 2001.

Neste post, vou mostrar como subir uma máquina virtual MacOS Catalina dentro do Ubuntu 22.04.

O passo a passo vale para outras versões do sistema operacional da Apple, bem como para outras distribuições GNU/Linux.

Existem vários procedimentos na web, a maioria envolvendo o uso do QEMU e KVM, para rodar o “macos” em uma máquina Linux. O que funcionou para mim, segue abaixo.

Requisitos de hardware

Em princípio, qualquer computador atual pode rodar uma máquina virtual. No meu caso, estou usando um Dell Inspiron 5448, com processador Intel i7 e 16 GB de memória. Mas o procedimento funcionou também em um Lenovo E490, com um processador Intel i3.

Quanto mais memória RAM, mais espaço o sistema “hóspede” terá para funcionar. Eu dediquei 4 GB de memória RAM do meu sistema para a máquina virtual. Mas ele funciona com apenas 2 GB também.

Você precisa ter, pelo menos, 50 GB de espaço livre em disco, para hospedar o MacOS. Se pretende instalar novos softwares e usar intensamente, separe mais espaço. Eu recomendo separar aproximadamente 100 GB, para ter espaço para os downloads do projeto e para crescer no sistema.

Qualquer que seja a sua configuração de hardware, sugiro experimentar e ver se dá certo. É provável que dê!

A preparação do ambiente

Para esta configuração, usei o projeto do macOS-Simple-KVM, cujo código está disponível no Github (links, lá embaixo, nas referências).

Também será necessário instalar alguns pacotes do QEMU, Python 3 e carregar alguns módulos do KVM.

Leve em conta que o meu ambiente “hospedeiro” é Ubuntu. Se você usa outra distro, tenha o cuidado de adaptar os comandos. Por exemplo, nas que são baseadas no Debian (como é o caso do Ubuntu), usamos o apt, como gerenciador de pacotes. No Fedora, é o dnf etc.

Comece por fazer uma atualização geral do seu sistema:

sudo apt update
sudo apt upgrade

Em seguida, instale os seguintes pacotes:

sudo apt install qemu-kvm libvirt-daemon qemu-system qemu-utils python3 python3-pip bridge-utils virtinst libvirt-daemon-system

Opcionalmente, instale o virt-manager, se quiser usar o gerenciador gráfico de máquinas virtuais:

sudo apt install virt-manager 

Certifique-se de que o módulo vhost_net está carregado e ativado:

sudo modprobe vhost_net
lsmod | grep vhost
O comando lsmod pode ser usado para listar os módulos carregados no seu sistema.

No próximo passo, vamos iniciar e ativar o KVM:

sudo systemctl start libvirtd
sudo systemctl enable libvirtd

Verifique se o KVM está “no ar”:

lsmod | grep kvm

Baixe o sistema operacional

Chegou a hora de “ir buscar” o MacOS. Para isso, use o git:

git clone https://github.com/foxlet/macOS-Simple-KVM.git

Isso irá criar um diretório novo no seu sistema e baixar um script que vai fazer o download e a instalação do que queremos.

Entre no diretório criado:

cd macOS-Simple-KVM
Use o git para baixar o pacote de instalação da mídia do sistema operacional.

Rode o script para fazer o download da mídia de instalação:

./jumpstart.sh --catalina

Esta é a opção padrão. Se quiser, você pode usar outras, como --high-sierra, --mojave etc.

Aguarde os downloads.

Iniciando a máquina virtual

Antes de iniciar o “Mac virtual”, crie um disco de 64 GB (ou mais), para comportar o sistema operacional:

qemu-img create -f qcow2 macOS.qcow2 64G

Neste mesmo diretório, há um arquivo de script, chamado basic.sh. Modifique-o, acrescentando as seguintes linhas ao final dele:

-drive id=SystemDisk,if=none,file=macOS.qcow2 \
-device ide-hd,bus=sata.4,drive=SystemDisk\

Agora, rode o script:

./basic.sh

Aguarde o carregamento do instalador.

A instalação do sistema operacional

Clique no ícone no centro da tela para prosseguir.

A primeira tela gráfica do instalador, vai ter um ícone do Mac na parte central da tela. Clique no ícone ou tecle Enter. Aguarde o carregamento do MacOS Utilities.

Selecione a opção “Disk Utility” e formate o disco que você criou para usar com o MacOS.

A partir deste utilitário, é possível restaurar, reinstalar e formatar discos.

O Disk Utility, mostra as características de cada drive na tela. Tente localizar, na lista, o disco “QEMU.HARDDISK…” que você criou há pouco no terminal.

Para ajudar a localizar a unidade correta, lembre-se da capacidade, em gigabytes, que você deu a ele. Se você formatou para 64 GB, ele vai exibir um valor aproximado desta capacidade. Para mim, mostrou aproximadamente 68 GB, como você pode ver na imagem abaixo.

Depois de formatar (erase) o meu disco, a tela exibe informações sobre ele, já com o novo nome “macOS”.

Depois de selecionar a unidade a ser formatada, clique no botão (na parte de cima) “Erase“, para ver as opções de formatação.

Eu apenas mudei o nome do meu disco — de “QEMU.HARD…” para macOS. Você pode usar o nome que quiser.

Depois disso, clique em “Erase” para dar início à formatação da unidade. Aguarde a finalização do processo.

Dê um nome significativo para a unidade que irá receber o sistema operacional. Depois, clique em “Erase”, para iniciar a formatação.

Agora, feche o Disk Utility e selecione a opção “Reinstall macOS”, na tela principal do utilitário.

Selecione “Reinstall macOS” para inicar a reinstalação do sistema operacional.

Depois de confirmar a “reinstalação”, preste atenção nas telas seguintes e vá confirmando, para prosseguir.

O processo pode demorar em função de vários fatores (velocidade da Internet, velocidade do seu computador etc).

Problemas com o mouse

Eu só tive um problema neste processo: o meu mouse não foi reconhecido.

Neste caso, a documentação do projeto recomenda trocar a seguinte linha, dentro do script basic.sh:

-usb -device usb-kbd -device usb-mouse \

por

-usb -device usb-kbd -device usb-tablet \

Depois disso, todo o restante foi resolvido dentro da própria interface do MacOS, como a configuração correta do meu teclado, por exemplo.

Como alterar a quantidade de memória do sistema

Para alterar a quantidade de memória da máquina virtual, localize a linha -m 2G dentro do script basic.sh e troque o valor pela quantidade de memória desejada. Eu alterei o meu para 4G.

Use o script basic.sh sempre, para iniciar a sua máquina virtual com o MacOS, daqui pra frente.

Referências

As instruções iniciais foram obtidas deste site: https://computingforgeeks.com/how-to-run-macos-on-kvm-qemu/

Documentação do projeto: https://github.com/foxlet/macOS-Simple-KVM/tree/master/docs

Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Russian Doll". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Post comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: