Por que as fotos com o iPhone são melhores?

Comparadas às fotos tiradas com aparelhos de marcas concorrentes, as do iPhone são comumente consideradas melhores ou mais bonitas. Qual a verdade nisso? E quais são as razões do bom desempenho?

Precisamos analisar alguns fatores que contribuem para termos uma imagem de boa qualidade no final. Alguns destes são bastante subjetivos e não têm nada a ver com a tecnologia embarcada, como veremos.

O que faz uma imagem ter boa qualidade?

Há um conjunto de fatores que, combinados, concorrem para obter resultados melhores:

Quando bem ajustados, produzem efeitos que agradam a todos.

Lentes de boa qualidade

Como em qualquer câmera, a qualidade começa nas lentes ou objetivas.

Os celulares mais caros, de alta performance usam lentes feitas de material de primeira qualidade. Não arranham fácil e usam componentes que permitem um nível de transparência excepcional, para fazer a luz chegar ao sensor com o mínimo de perdas e distorções possível.

Além disso, as objetivas atuais têm tratamentos químicos (coating) que ajudam a eliminar algumas aberrações ópticas e melhoram, ainda mais, o grau de transparência.

No caso da Apple, embora terceirize a produção, ela mesma se responsabiliza pelos projetos de suas lentes.

O sensor da câmera

Os sensores são a parte mais importante, entre os componentes de uma câmera digital. Mas não conseguem fazer todo o trabalho sozinhos. Foto: Sony.com

As maiores fabricantes de sensores, atualmente, são a Sony e a Samsung. Os atuais aparelhos da Apple usam os sensores IMX 603 e IMX 703, fabricados pela Sony.

Outro ponto em que a Apple tem acertado, é não entrar na “guerra dos megapixels”. A empresa opta por sensores maiores, com mais qualidade em vez de tentar encaixar uma quantidade absurda de pixels em um espaço minúsculo.

Este fator, sozinho, já ajuda a capturar imagens melhores do que outros aparelhos, que preferem ter maior contagem de megapixels, mesmo que em sensores menores e mais baratos.

Aqui entra uma questão de mercado e de comportamento do consumidor: o usuário de aparelhos Android é mais suscetível à ilusão de que a maior quantidade de megapixels produz imagens melhores.

Trocando em miúdos, o “passageiro” da Apple viaja em um ônibus com 12 assentos, enquanto os do Android andam em micro-ônibus com mais de 50 assentos! Quem você acha que viaja melhor?

O processamento das imagens

É necessário ter lente(s) de qualidade e um processador de imagem, para interpretar o que está sendo registrado. Foto: Gizmochina

O ISP, ou Image Sensor Processor, é uma CPU projetada para interpretar as imagens registradas pelo sensor — nas suas cores, nos detalhes das sombras e das altas-luzes etc.

Esta é uma parte que, fabricantes como a Apple, levam muito a sério. Boa parte da “mágica da Apple” é feita no processamento das imagens do sensor.

A empresa assume todas as etapas de design e fabricação desta peça-chave, que é responsável pela interpretação das informações registradas.

Todas as grandes fabricantes, dedicam recursos de pesquisa e desenvolvimento para colocar os melhores ISP nos seus produtos mais caros.

O software

Até agora, vimos a tecnologia de hardware em ação. Isso todas as marcas que produzem aparelhos na mesma faixa de preços da Apple, são capazes de fazer (e fazem!). Inclusive a Sony, que fabrica os sensores.

Já, o resultado que o software entrega é um fator subjetivo — você pode gostar ou não e isso não tem nada a ver com a qualidade.

Equipes compostas por engenheiros, psicólogos, artistas etc. trabalham junto com os desenvolvedores para criar o software de processamento e entregar um resultado com cores e tonalidades que agradam ao público.

Outra função importante dos softwares, é corrigir distorções e aberrações causadas pelas lentes.

As câmeras dedicadas, profissionais permitem fazer imagens em RAW, com o mínimo de processamento — por que são voltadas a um público que faz suas próprias edições.

As câmeras de celulares são voltadas para um público de consumo rápido, que preferem usar filtros e “não olham imagens por mais do que 3 segundos”.

O visor do aparelho

Finalmente, a empresa usa telas (feitas pela Samsung ou LG) de alta qualidade, para mostrar muito bem as suas imagens.

Assim como no caso dos sensores, por trás das telas também existe processamento de hardware e de software para exibir o melhor resultado em termos de cores, tonalidades, nitidez, contrastes etc.

Você já experimentou olhar as suas fotos, na tela de um celular de outro modelo, de outra marca?!

O marketing das empresas

Note que as empresas que produzem celulares Android promovem a “guerra dos megapixels” enquanto a Apple mantém seu foco nos outros fatores que verdadeiramente influem na qualidade da imagem.

A empresa também joga bem no setor do marketing — que ajuda a vender a ideia de que seus celulares têm as melhores imagens, o que não é exatamente a verdade.

Se uma imagem é bonita ou não, isso é uma questão muito mais subjetiva do que técnica. E é esta subjetividade que a propaganda da Apple manipula bem.

Este é um dos pilares do sucesso da empresa. E ela nunca descuidou disso.

Se você está em dúvida sobre o que é melhor: celular ou câmera dedicada, leia este post.

Preciso ter um iPhone para tirar boas fotos?

Definitivamente, não.

A partir de 2010, as câmeras e os processadores de imagens atingiram patamares de qualidade bastante similares. Atualmente, muitos compartilham os mesmos recursos de hardware.

Outro ponto importante é que uma boa foto, não tem nada a ver com qualidade técnica.

Muita gente faz fotos ruins com iPhone e outros smartphones caros. Uma foto pode ser tecnicamente impecável e não conseguir “contar uma história”.

Se você quer melhorar as suas fotos, procure aprender mais sobre composição e outras técnicas fotográficas (ou de vídeo).

Estudar edição de imagens e teoria de cores também pode ajudar imensamente a criar fotos impressionantes, usando este mesmo aparelho que está nas suas mãos.

Conclusão

Muitos modelos de celulares compartilham os mesmos recursos de hardware do iPhone. Apesar disso, os resultados são diferentes.

Se os resultados de uma determinada marca ou modelo são melhores ou não, é muito mais uma questão subjetiva (vai do gosto de cada um) do que técnica.

A Apple sabe combinar um bom projeto, usando componentes de qualidade, aliado a uma sólida propaganda para promover seus produtos.

É como as músicas “mais tocadas” no seu serviço de streaming. Muitas estão na lista por que alguém provavelmente pagou e não por que sejam músicas realmente boas. É o marketing!

Saiba como assinar a nossa newsletter grátis!

Referências

https://www.quora.com/Who-makes-the-cameras-or-sensors-of-the-iPhone-12-and-13

https://www.imore.com/suppliers-revealed-apples-iphone-12-camera

Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

2 Responses

  1. Mas segundo o DxOMark, não são as dos iPhones as melhores fotos, está disputando o topo do ranking, mas não estão em primeiro lugar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Post comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: