5 câmeras fotográficas, para iniciantes. Escolha a sua.

publicado

Estas 5 câmeras, todas de marcas diferentes, são excelentes opções de baixo custo para quem deseja levar a fotografia um pouco mais a sério, como hobby ou trabalho.

São ótimas opções, também, para profissionais que desejam ter uma segunda câmera, mais leve, para descontrair ou ajudar no trabalho pesado, sem abrir mão da qualidade.

Note que estabeleci um teto de US$ 1000, na minha seleção. Trata-se de um valor de referência do mercado norte americano, como expliquei aqui. Para se informar sobre os preços no Brasil, certifique-se de ver os meus links, ao final do post.

São câmeras com sensores pequenos, APS-C (cropped) ou Micro Four Thirds [1] e todas com encaixes de lentes intercambiáveis — ou seja, permitem trocar as lentes. Desta maneira, a câmera pode evoluir com você, permitindo que você construa seu kit de trabalho.

Vamos abordar as qualidades e as limitações de cada uma delas e espero ajudar a encontrar a mais adequada às suas necessidades.

Especificações técnicas

Na tabela, abaixo, faço uma comparação resumida de cada uma das seguintes máquinas.

CâmeraCanon M200Olympus E-M10Fujifilm X-T200Sony a6000Nikon Z50
LançamentoSet/2019Mar/2014Jan/2020Abr/2014Out/2019
Preço (US$)*$ 550$ 600$ 800$ 500$ 996
Peso s/lente539 g408 g370 g345 g397 g
Lente do kit15-45mm f/3.5-6.3 IS STM14-42mm f/3.5-5.615-45 f/3.5-5.6 OIS16-50mm f/3.5-5.6 OSS16-50mm f/3.5-6.3 VR
Tam. do sensor
e fator de corte
APS-C
1,6x
Micro 4/3
2x
APS-C
1,5x
APS-C
1,5x
APS-C
1,5x
Resolução
do sensor (MP)
2416242421
Articulação da telaTilt upTiltTotalTiltTilt
Resolução
da tela
1.040k1040k2360k922k1040k
TouchscreenSimSimSimNãoSim
Resolução do
viewfinder
2360k2780k1440k2360k
Velocidade de
tiro (fps)
6,18,681111
ConectividadeWi-Fi, Bluetooth 4.2, HDMI, USB 2.0Wi-Fi, HDMI, USB 2.0Wi-Fi, Bluetooth, HDMI, USB 3.2Wi-Fi, HDMI, NFCWi-Fi, Bluetooth 4.2, HDMI, USB 2.0
Duração da bateria (CIPA)315 fotos330 fotos270 fotos360 fotos320 fotos
Res. máx. de vídeo4K4K4KFullHD4K
Estabilização
de vídeo
DigitalCompleta 5-axisDigitalNãoDigital
Weather sealingNãoNãoNãoNãoSim
* Os preços estão em dólar (US) e servem apenas para referência.
Clique nos links, ao final do post, para obter os preços atuais em R$.
Comparação de tamanho com a lente do kit. Da esquerda para a direita: Sony a6000, Canon M200, Olympus E-M10, Fujifilm X-T200 e Nikon Z 50. Veja o link da comparação na sessão de referências.

Capacidade de upgrade

Uma câmera digital tem poucas especificações passíveis de upgrades ou atualizações.

Geralmente, você evolui, adquirindo novas lentes, comprando cartões de memória de maior capacidade, unidades a mais de baterias, acessórios de iluminação, grips, filtros etc.

Esta é uma das grandes vantagens das câmeras de lentes intercambiáveis: quando quiser melhorar a qualidade técnica da sua fotografia, em vez de fazer o upgrade da câmera, você só precisa investir em uma lente melhor.

A Nikon Z 50 usa o mesmo mount das full frame profissionais da marca. Todo o investimento feito em lentes é mantido, caso você resolva fazer um upgrade de câmera dentro da própria marca, no futuro. Foto: Nikon USA.

Todas estas câmeras estão aptas a crescer junto com a sua fotografia, portanto.

Todas elas podem usar lentes de diversas marcas — inclusive as lentes antigas, das câmeras “analógicas”. Apenas compre o adaptador adequado ao encaixe da lente que você deseja usar.

Se optar por usar apenas as lentes nativas de cada marca, a Canon M200 é a que tem menos opções (16, atualmente). Mas, com um adaptador, é possível ter acesso às centenas de objetivas EF e EF-S da marca e de terceiros.

A Fujifilm X-T200 faz parte do sistema X-Series, que tem uma ampla gama de lentes e acessórios compartilhados. Foto: Fujifilm Deutschland.

A Fujifilm X-T200 e a Nikon Z 50 são os destaques, neste tópico. Ambas tem um amplo leque de lentes e acessórios, nativos e de outras marcas, que você pode adquirir, para melhorar o seu kit.

Uma outra câmera que tem um ecossistema de lentes considerável é a Olympus, que compartilha o mount (encaixe) com a Panasonic (e outras marcas). É possível encontrar algumas centenas de opções, com preços bem atrativos, inclusive — principalmente no mercado de usados.

O sistema micro four thirds, conta com objetivas de variados fabricantes, desenvolvidas ao longo de muitos anos. Foto: Olympus Japan.

Ergonomia e manuseio

A ergonomia de uma câmera é uma característica muito subjetiva — depende, em parte, do tamanho da sua mão, de experiências pessoais, por exemplo.

A ergonomia compreende o conforto e a segurança ao segurar e manusear a câmera — e os fabricantes incluem itens para melhorar este fator, como o grip, que permite agarrar melhor o equipamento.

Neste caso, a Nikon Z 50 vai oferecer uma ergonomia mais próxima do que você obtém de equipamentos “pro”. O que não é de se espantar, uma vez que é voltada ao público de nível entusiasta/profissional.

A Nikon Z 50 é voltada ao público profissional ou entusiasta mais avançado. Foto: Nikon USA.

A Canon EOS M200 segue um design mais “liso” que pressupõe que será carregada, predominantemente, em uma bolsa ou em uma alça de ombro/pescoço/mão.

Isso é algo a ser levado em conta: se a câmera for passar a maior parte do tempo dentro de uma bolsa… significa que será menos usada e você perderá chances de fazer fotos.

As opções da Olympus e da Fujifilm têm design retrô ou clássico e, portanto, os controles ficam todos ao alcance da mão — o que evita entrar nos menus, para encontrar a função desejada.

Por fim, todas têm tela sensível ao toque, para facilitar a operação — exceto a Sony Alpha a6000.

O touchscreen permite usar gestos, como pinçar (para dar zoom), dar um toque no ecrã, para definir a zona de focagem etc.

Recursos de software embutidos

As câmeras possuem recursos internos de software que realizam inúmeras tarefas:

Alguns recursos, permitem criar imagens muito interessantes e tornam mais divertida a experiência com a câmera:

M200E-M10X-T200a6000Z 50
HDRSimSimSimSimSim
Múltiplas exposiçõesNãoSimSimNãoSim
PanoramaNãoSimSimSimNão
Filtros e efeitosSimSimSimSimSim
TimelapseNãoNãoSimNãoSim
Todas têm opções de filtros e efeitos, para as suas imagens já saírem prontas para postar nas redes sociais, se quiser. Este recurso ajuda a obter imagens mais exclusivas.

Atualmente, é difícil uma câmera se comparar aos recursos de software embarcados nas Fujifilm. É uma marca muito divertida para fotografia e filmar.

Leia o review da Fujifilm X-S10.

Há (pequenas) variações de cor, à escolha, da linha Fujifilm X-T200. Foto: Fujifilm.

A mais resistente

A Nikon Z 50 é a única com weather sealing, que significa resistência aos elementos, como poeira, respingos de água. Não é à prova d’água e, sob hipótese alguma, pode ser submergida.

Tenha em mente que o weather sealing não funciona “pela metade”. A lente também precisa ter a selagem, para a câmera estar protegida.

Na vida real, isso significa que você pode fotografar sob condições um pouco mais adversas, como perto de uma cachoeira, sob chuva fraca etc.

A mais barata

No mercado nacional, a Canon EOS M200 pode ser a mais barata, enquanto a Sony Alpha a6000 tem preço ainda mais reduzido no exterior.

Todas podem se comunicar através de aplicativos, com o celular. A Sony a6000 tem algumas opções a mais de conectividade.

A a6000 é um equipamento de 2014, com algumas versões mais novas no mercado — o que ajuda a empurrar o preço pra baixo.

Se estiver realmente muito preocupada(o) com preços, leve em consideração a possibilidade de adquirir o produto no mercado de usados.

Não há muita diferença tecnológica entre a EOS M100 e a M200, por exemplo. O mesmo pode ser dito da Fujifilm X-T200 em relação à X-T100.

Na sessão de links, ao final do post, há uma série de links que podem ajudar a fazer a sua pesquisa de preços.

Outro fator a ser levado em conta é o “ecossistema” de lentes, ao redor de cada câmera. A grande variedade de marcas e modelos lentes disponível, ajuda a manter os preços abaixo da “estratosfera”.

Canon EOS M200. Foto: Canon USA.

A melhor qualidade

As câmeras são excelentes para o público iniciante e podem ser perfeitas para entusiastas que estejam em busca de uma segunda câmera.

Eu não acredito que a quantidade de megapixels seja tão importante para determinar a qualidade do equipamento. Portanto prefiro prestar atenção a outros recursos, como a resolução do LCD e do viewfinder, bem como a ergonomia etc.

Nestes quesitos, a Fujifilm X-T200 oferece um bom equilíbrio de recursos e excede as outras na resolução das telas de visualização — que ajuda a tornar mais confortável o uso da câmera.

A melhor para vídeo

A opção da Sony é a única que não faz vídeos em 4K (UHD). Afinal, é um projeto de 2014.

Se quiser saber um pouco mais sobre vídeos em 4K, eu relacionei uma série de questões (problemas e soluções), neste post.

Enfim, se você vai postar apenas nas redes sociais, vídeos em UHD são uma perda de tempo e dinheiro — por que você vai ter que investir em cartões de memória mais rápidos, de maior capacidade e mais caros.

A Olympus OM-D M-10 Mark III tem opções arrojadas de estabilização de imagem. Foto: Olympus Japan.

Segue a capacidade de gravação de vídeo de cada uma:

  • A Canon EOS M200 — Pode gravar vídeos em 4K, a 60fps (60 quadros por segundo). E você pode gravar, como foto, os quadros que você quiser do vídeo. Em resolução SD (1280×720), é possível gravar a uma taxa de 120fps, que permite vídeos muito bonitos em câmera lenta (slow motion).
  • A Sony a6000 — pode gravar pequenos vídeos (até 9 minutos) em FullHD, a 60fps. Está dentro do esperado.
  • A Olympus E-M10 III — também é de 2014, mas já é capaz de fazer vídeos a 4K, a 30fps, embora tenha o menor sensor e a menor resolução, para fotos, dentre todas as analisadas, aqui — o que pode ser vantajoso, em alguns casos. Em SD, a câmera consegue gravar 120fps, para entregar aquele “slo mo” suave. Adicione a isso, a estabilização do sensor, que ajuda a fazer tomadas mais sólidas.
  • A Fujifilm X-T200 — Faz vídeos em 4K, a taxas de 30, 25 e 24fps. Pode também fazer vídeos em câmera lenta, a 120fps, em FullHD.
  • A Nikon Z 50 — Faz vídeos em 4K, a taxas de 30, 25 e 24fps. Pode também fazer vídeos em câmera lenta, a 120fps, em FullHD.

Se você prioriza a gravação de vídeos, a Z 50 e a X-T200 têm especificações similares — com a vantagem do preço, para a câmera da Fujifilm.

Vale destacar que a E-M10 III tem 3 tipos de estabilização, que podem trabalhar em conjunto, se você quiser: estabilização do sensor em 5 eixos, estabilização óptica (na lente) e digital. Este conjunto pode ser imbatível, para quem precisa fazer um vlog ou qualquer outro tipo de filmagem, segurando a câmera.

A melhor conectividade

Wi-Fi, Bluetooth, NFC, USB… é importante conseguir se comunicar com a câmera, para poder extrair os arquivos de vídeo e fotos.

A Nikon usa app Snapbridge para estabelecer conexão entre o smartphone/tablet e a câmera.

Todas possuem apps para você instalar no celular e fazer a transferência da mídia.

A conectividade também permite controlar a câmera a partir do celular, para fazer filmagens, tirar fotos, transferir dados do GPS etc.

A Sony Alpha a6000, se destaca pela presença do NFC: você só precisa encostar o celular na câmera e começar a fazer a transferência dos seus arquivos. Ou seja, tudo o que já é fácil nas outras, nesta é mais fácil ainda.

Para quem prefere transferir pro notebook ou pro desktop, a Fujifilm tem conexão USB 3.2 (5 Gb/s) — teoricamente, isto significa transferir o conteúdo de um cartão de 32Gb em menos de 9 segundos.

Em uma viagem, ter a possibilidade de transferir as imagens pro celular e, dali, para as nuvens representa uma opção de backup importante.

Se isso for prioritário para você e o seu celular tiver suporte a NFC, considere a Sony a6000, como opção.

A melhor duração da bateria

Em termos de otimização da carga, todas estão na média atual das câmeras mirrorless compactas.

A Sony Alpha a6000, tem a melhor média de 360 fotos por carga da bateria e a Fujifilm X-T200 a menor, de 270.

Estes números são obtidos de testes padrão CIPA, que costumam ser bastante exigentes. Portanto, dependendo da maneira como você usa a sua câmera, é fácil dobrar o valor de referência da CIPA.

Comprar uma segunda bateria, de reserva, também é recomendado.

Se quiser, leia as minhas táticas de guerrilha para extrair o máximo de cada carga das baterias de câmeras.

Conclusão

Recomendar câmeras para outras pessoas, é sempre uma tarefa difícil.

Como você pode ver, algumas têm pontos realmente fortes a seu favor e outras são mais equilibradas, com recursos mais distribuídos.

O que é mais importante para você? Vídeo ou foto? Esta questão pode ser um bom ponto de partida.

A resistência e a duração da bateria podem ser itens mais importantes para quem pretende levar a máquina em viagens ou trilhas.

A Sony a6000, por um lado, é a mais antiga de todas. Mas se destaca na duração da bateria e nas opções de conectividade.

A Canon EOS M200 é uma opção barata, leve e com design moderno. Infelizmente, é a que menos tem perspectivas de fazer upgrades, pela pequena gama de lentes nativas.

A Olympus OM-D M 10 Mark III, tem um design clássico (para quem gosta) e é uma ótima opção para quem deseja fazer vídeos segurando a câmera na mão.

A Fujifilm X-T200 também aposta em um design clássico (ou retrô, segundo alguns). Tem uma boa relação de recursos tecnológicos e um bom software. Mas tem o segundo preço mais alto desta lista.

A Nikon Z 50 é um investimento mais alto, porém oferece recursos de nível profissional. É mais indicada para quem já se iniciou na fotografia, há algum tempo e deseja ter um equipamento para crescer junto.

Os links deste tópico são afiliados. Recebemos uma pequena comissão por compras qualificadas realizadas através deles.

Aonde comprar baterias recarregáveis e carregadores inteligentes: https://www.epilhas.com.br.

Canon EOS M200 c/lente 15-45mm: https://amzn.to/3lsecCK.

Olympus E-M10 c/lente 14-42mm: https://amzn.to/3apjEQB.

Fujifilm X-T200 c/lente 15-45mm: https://amzn.to/2WZgwI5.

Sony Alpha a6000 c/lente 16-50mm: https://amzn.to/3v5JSkD.

Nikon Z 50 c/lente 16-50mm: https://amzn.to/3iNvwk5.

Referências

Aonde obter mais informações sobre especificações e manuais:

Especificações da Canon M200: https://cameradecision.com/review/Canon-EOS-M200

Manual e especificações da Fujifilm X-T200: https://fujifilm-dsc.com/en/manual/x-t200/

Site da Sony a6000: https://www.sony.com/pt-ao/electronics/camaras-lentes-amoviveis/ilce-6000-body-kit

Site da Olympus OM-D M10 Mark III: https://www.getolympus.com/us/en/e-m10-mark-iii.html.

Especificações da Nikon Z 50: https://cameradecision.com/review/Nikon-Z50

Comparação dos tamanhos das câmeras, no Camerasize: https://camerasize.com/compact/#833.680,720.92,845.706,535.360,834.902,ha,t

Notas

  1. Micro Four Thirds — é um padrão de sensor com tamanho 17,3mm x 13mm, ou seja, metade do padrão full frame (ou “35mm”). Foi projetado em 2008, pela Olympus e Panasonic.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.