Qual a melhor lente (do kit) para retratos?

publicado

Muitas câmeras são vendidas acompanhadas de uma ou duas lentes, em um kit (ou combo), para ajudar quem está adquirindo seu primeiro equipamento a começar a fotografar, logo após tirar o equipamento da caixa.

Por isso é que são chamadas de “lentes do kit”.

Os críticos argumentam que, para manter o preço do conjunto mais baixo, os fabricantes tendem a entregar lentes mais baratas, para integrar o conjunto.

Quais são as lentes do kit

A principal lente do kit da Canon: EF-S 18-55mm, com estabilização óptica da imagem, permite fotografar em condições de baixa luminosidade.

Aparentemente, os fabricantes concordam, que uma objetiva zoom, com distância focal entre 18mm e 55mm é o ideal para vender a iniciantes. Portanto, a 18-55mm, costuma ser a “lente de kit” em quase todos os sistemas.

Veja links, para pesquisar os preços, ao final do post.

Há variações, para atender a perspectiva ditada pelo tamanho do sensor. A lente do kit da Olympus, costuma ser uma 14-42mm, por exemplo.

Além desta, os vendedores podem completar o combo com uma 55-250mm ou uma 75-300mm, que são teleobjetivas zoom, para dar possibilidades extra para explorar a fotografia.

As teleobjetivas zoom, são ótimas para a fotografia de vida selvagem, pássaros, esportes e paisagem.

A lente do kit da Nikon.

Retratos com a 18-55mm

Nas câmeras APS-C [1], estas distâncias focais oferecem enquadramentos partido do grande angular (~76°) até o início do telefoto (~28°).

Dos 18 aos 35mm, as lentes sofrem com algumas distorções ópticas e de perspectiva, comumente chamadas “distorções de barril”.

Embora seja possível ligar a correção de distorção óptica na configuração da câmera, a distorção de perspectiva ainda vai continuar (não é culpa da lente).

A Fujifilm sugere a Fujinon 15-45mm, como lente do kit, em algumas de suas câmeras.

Objetos mais próximos terão uma perspectiva distorcida e é possível trabalhar com isso de maneira muito criativa, em retratos.

Aos 35mm, o campo de visão é aproximadamente 46° (em câmeras com sensores APS-C), o que pode proporcionar uma boa perspectiva para retratos de corpo inteiro, com pouca distorção óptica.

já aos 55mm, o campo de visão é mais reduzido (~28°), o que proporciona um enquadramento mais adequado para retratos de rosto (headshot), nas câmeras com sensores APS-C.

Um outro efeito, obtido com enquadramentos inferiores a 28°, é a redução significativa da profundidade do campo de visão [2], que permite obter um desfoque de fundo mais realçado — destacando melhor o assunto.

O fundo fortemente desfocado, é comumente chamado bokeh. Para obter um efeito mais pronunciado, siga os passos:

  1. afaste o assunto ou a pessoa a ser retratada o máximo do fundo;
  2. aproxime a câmera o máximo do assunto.

Esta técnica funciona bem até mesmo com a câmera do celular. Experimente!

Leia por que eu amo as 50mm.

As teleobjetivas do kit

lentes canon
Lentes Canon EF-S 18-55mm e EF 75-300mm, fotografadas de um celular comum.

É um pouco raro ver teleobjetivas integrando um kit. Quando isso ocorre, frequentemente são escolhidas a 55-250mm ou a 75-300mm, para acompanhar um equipamento com sensor APS-C.

As full frame, geralmente são comercializadas com uma 24-105mm.

Ocasionalmente, as 18-135 também podem integrar os kits APS-C.

Da mesma forma que as distorções ópticas e de perspectiva se aprofundam nas lentes grande angulares, outras distorções passam a ocorrer nas “tele”.

Em oposição ao “efeito de barril”, das grande angulares, as teleobjetivas apresentam um “efeito de almofada” — semelhante a uma convergência para o centro da imagem.

Por sorte, este tipo de distorção óptica é pouco notado e, além disso, produz resultados agradáveis em retratos.

Muitas pessoas gostam de se ver mais delgadas nas fotos.

Outra implicação do uso das teleobjetivas (acima de 85mm ou 18° nas câmeras APS-C) é uma aparente compressão do fundo e uma crescente redução da profundidade de campo.

Consequentemente, as tele tornam muito mais fácil obter aquele bokeh suave ao fundo, destacando melhor o assunto da sua foto.

Leia o meu review da Canon EF 24-105mm f/4 L IS II USM

Conclusão

Qualquer lente do kit pode ser usada para obter belos retratos. Sendo que, você pode precisar ser um pouco mais criativa(o), ao usar as 18-55mm e pode obter efeitos agradáveis mais facilmente, com distâncias focais acima dos 50mm.

Leia os meus ajustes básicos de câmera para fazer retratos.

Ao comprar, por meio desses links, você está apoiando diretamente nosso blog. Obrigado!

Canon EOS Rebel T100 c/a lente 18-55mm: https://amzn.to/2ZqZJhR.

Nikon D3400 DSLR c/a lente 18-55 mm: https://amzn.to/3BeBMHT.

Fujifilm X-T200 c/a lente 15-45mm: https://amzn.to/2ZlVuEn.

Referências

Grupo da Canon EF-S 18-55mm, no Flickr (sessão de retratos): https://www.flickr.com/search/?group_id=2346717%40N21&view_all=1&text=portrait

Grupo da Nikon 18-55mm, no Flickr: https://www.flickr.com/search/?group_id=2293466%40N25&view_all=1&text=portrait

Notas

  1. Câmeras APS-C, são equipamentos com sensores medindo 25,1×16,7 mm, rácio de aspecto (aspect ratio) de 3:2 e um diâmetro de círculo de projeção de Ø 31,15 mm. Usualmente, são vendidas para o público iniciante na fotografia e costumam ter custo mais baixo.
  2. A profundidade de campo, é distância entre os objetos mais próximos e mais distantes da câmera, que estão dentro da zona de foco aceitável. Artigo na Wikipedia.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.