Como fazer imagens em panorama

publicado

Imagens em panorama, usualmente, são mais alongadas horizontalmente e mais achatadas na vertical.

É um formato muito usado quando se deseja passar a sensação de amplitude do espaço.

Imagem em panorama 3:1.

São geralmente caracterizadas por usar o aspecto de rácio (aspect ratio) 2:1 (2 por 1) ou mais.

3:1 e 4:1 também são comuns. Acima de 4:1, o panorama começa a perder a sua naturalidade.

Há várias formas de obter imagens neste formato. Neste texto, vamos abordar algumas delas.

Recorte a imagem em formato de panorama

Você pode cortar uma imagem qualquer, dentro do rácio de aspecto 2:1 para obter um panorama a partir de uma foto que você já criou anteriormente.

Imagem panorâmica, obtida a partir do recorte de uma foto tirada com a distância focal de 50mm.

Esta é a forma mais simples de se obter imagens panorâmicas a partir das fotos que você já tem.

Eu gosto muito desta forma, por 2 motivos:

  • É rápido e fácil. Tudo o que preciso fazer é tirar uma foto com um enquadramento o mais aberto possível, para poder cortar depois.
  • Não há perda de qualidade e nenhum pós-processamento é requerido para obter o meu panorama.

Use o celular ou a câmera dedicada

O recurso é comum em celulares, de todas as marcas e pode ser encontrado na seção de configuração da câmera do seu aparelho.

Na tela da esquerda, aonde você pode encontrar o recurso de panorama. À direita, o software da câmera orienta sobre como fazer o uso. O panorama pode ser vertical também.

O software de panorama também faz as correções necessárias em relação as distorções que todas as lentes produzem, para obter uma imagem final uniforme.

Se você preferir, há apps de panorama (stitching) que podem ser adquiridos na Play Store e que tem mais recursos e flexibilidade para você liberar a sua criatividade.

Costurando diversas imagens na pós-produção

Quem usa câmera dedicada, usualmente consegue obter imagens de melhor qualidade e pode usar a capacidade superior de processamento do PC (de mesa ou notebook) para obter resultados de melhor qualidade.

Neste caso, eu uso o Hugin, para fazer o stitching (costura de imagens).

O software corrige distorções de cores, de lente etc.

Use uma lente grande angular

Uma das formas mais eficientes de obter um panorama é tirando uma foto só — com uma grande angular. Em seguida, faça o recorte 2:1 (ou mais) para obter o panorama, como abordamos no primeiro tópico deste texto.

Nuvens, árvores, veículos e pessoas estão em constante movimento e, provavelmente, nem sabem que irão aparecer nas suas fotos.

Como consequência, em meio a um sequência de fotos, um árvore pode sair “alongada” ou um veículo “cortado” pode estar em mais de um quadro, criando inconsistência.

Nas redes sociais, as pessoas dificilmente irão notar este tipo de ocorrência.

Mas, se você tem razões para se preocupar com este tipo de ocorrência, use uma lente grande angular e faça apenas uma foto — para recortar no formato panorama, depois. Esta é a solução para obter uma imagem final 100% consistente.

Se você não tiver uma câmera dedicada, com uma lente grande angular, use o seu celular — que usualmente também tem uma lente grande angular (acima de 80º) — e faça o recorte depois.

Pessoalmente, gosto de viajar com apenas uma câmera e uma lente telefoto (EF 70-300mm f/4.0-5.6 IS II USM). Quando quero uma imagem com ângulo mais aberto, recorro ao celular.

Imagem original, tirada com uma lente grande angular. Seleção e recorte da área que ficará na imagem final.
Recorte de imagem em 3:1, panorama.

Com este tipo de edição, você evita borrões ou árvores/nuvens com formatos esquisitos.

Assine a nossa newsletter para ser informada(o) de novos posts sobre fotografia:

Links afiliados

O site recebe uma pequena comissão pelas compras qualificadas feitas através dos links desta sessão.

A grande angular que eu uso: Canon EF 17-40mm f/4.0 L IS USM.

Referências

Review da Canon EF 17-40mm f/4.0 L IS USM.

Review da Canon EF 70-300mm f/4.0-5.6 IS II USM.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.