6 ajustes básicos de câmera para retratos de pessoas.

Canon liveview facetracking
Canon liveview facetracking
publicado

Como os ajustes da câmera dependem do uso específico que ela terá, as configurações principais podem facilmente passar de algumas dezenas.

Alguns ajustes são pessoais, ou seja, dependem do seu estilo de fotografar ou da história que você quer contar.

Neste post, vou abordar alguns itens básicos, que eu mesmo faço, antes de começar a fazer fotografia de retratos, em qualquer câmera.

Com estas dicas, você vai conseguir imagens bem equilibradas e cores bonitas.

Os ajustes são baseados na Canon EOS 6D Mark II, mas você vai encontrar a maioria deles em outros modelos e marcas (às vezes, com nomes diferentes). Em caso de dúvidas, consulte o manual da sua câmera.

Ajuste da qualidade de imagem.

Menu da câmera Canon sobre a qualidade da imagem
Menu da câmera Canon sobre a qualidade da imagem

A “qualidade” da imagem, neste menu, se refere à resolução e ao tipo de arquivos que você deseja obter.

RAW vs JPG — eu prometo abordar este assunto, mas aprofundadamente, em um post específico. No momento, podemos resumir a escolha da seguinte forma:

  • Use RAW, se você gosta de abrir suas imagens no PC/Notebook, para editar e analisar os detalhes. Imagens em RAW são excelentes para editar.
  • Use JPG, se você prefere já sair com a imagem pronta para postar nas redes sociais ou se pretende fazer as edições no celular ou apenas aplicar algum filtro. Imagens em JPG são mais limitadas para a edição, mas são muito mais flexíveis para distribuir, compartilhar etc.
Menu da câmera Canon sobre a qualidade da imagem
Menu da câmera Canon para escolher o tipo de arquivos gerado (RAW e/ou JPEG) e a resolução/qualidade da imagem.

Se as suas fotos vão direto para as redes sociais ou para algum site na web e você não pretende usar para absolutamente mais nada, use o M (média resolução) ou S1 (baixa resolução).

Isto vai gerar arquivos de boa qualidade e bastante pequenos (para transferir muito mais rápido).

Muitas câmeras permitem fazer as fotos nos 2 formatos de arquivos: RAW e JPG. Isso pode te dar um pouco mais de possibilidades e recursos de trabalho depois.

Como os arquivos RAW são formatos proprietários, cada empresa faz “as coisas” do seu jeito. Os arquivos RAW da Canon, levam uma pequena amostra em JPG encapsulada.

O app da Canon para celular é capaz de extrair o arquivo JPG embutido no RAW e transferi-lo para o seu aparelho móvel. Portanto, fotografar apenas em RAW também é uma boa opção, caso você queira ter mais alternativas para trabalhar algumas das suas imagens mais tarde.

Ajuste do balanço de branco

O ajuste do balanço de branco pode ser crucial nas suas fotos. Usualmente o modo automático (AWB) resolve muito bem o problema. Mas já me encontrei em situações em que as condições de luminosidade mudam o tempo todo.

Se você quiser ter controle maior sobre este recurso, a “carta” das imagens em RAW volta pra mesa. Neste formato de imagem, o balanço de branco pode ser aplicado depois com total liberdade.

Escolha o estilo de imagem

Se a sua câmera estiver configurada para o idioma Inglês, o nome deste menu será Picture style. Em português, nos menus da Canon, é Estilo da imagem.

Há vários estilos prontos e há algumas opções de personalização.

O estilo “retrato” oferece o melhor balanço de tonalidades de cores, intensidade de contraste e nitidez para tirar fotos de pessoas.

Se você pretende postar nas redes sociais, não recomendo usar filtros ou presets posteriores sobre as imagens que foram gravadas com o estilo “retrato”, a menos que você saiba muito bem o que está fazendo.

Caso tenha a intenção de usar presets ou filtros específicos depois — ou fazer a sua própria edição no celular — o estilo neutro, pode ser mais interessante, uma vez que faz um mínimo de edição nas suas fotos, o que te dará mais liberdade criativa.

Suba um pouco o ISO

Se você está usando o modo de prioridade de abertura ou de exposição, pode escolher o valor do ISO e deixá-lo fixo.

A maioria das câmeras atuais convivem bem com ISOs superiores a 800.

Durante o dia, costumo usar um valor o dobro do que a câmear estiver sugerindo. Portanto, se ela estiver sugerindo ISO 200, eu uso 400.

Este ajuste permite usar velocidades (exposições) mais rápidas — o que melhora muito as chances de obter fotos perfeitamente nítidas, sem qualquer vestígio de borrão de movimento.

Use o liveview da câmera

O liveview usa o sistema Dual Pixel Auto Focus para focalizar o assunto. Costuma ser mais preciso e eficiente do que o sistema por pontos de autofoco, usado no viewfinder das DSLR.

Nas DSLR, há algumas limitações no sistema de autofoco, pelo ocular (ou viewfinder). Já o viewfinder, (ou o LCD traseiro da câmera) tem recursos que tornam mais confortável focalizar rostos durante um ensaio.

No liveview, a sua câmera usa um sistema de autofoco mais avançado e com detecção de faces — como no celular ou nas mirrorless mais avançadas.

Ao ativar a tela de LCD, ajuste o autofoco para face tracking. Se estiver com dificuldades para encontrar os recursos, consulte o manual da sua câmera.

Menu de opções de autofoco no liveview da Canon
A opção de AF (autofoco) para localizar faces (face tracking) na Canon. O menu é disponível (nas DSLR Canon) quando o liveview está ativado.

O face tracking é capaz de localizar sozinho rostos de pessoas (faça o teste na frente da sua TV). Nas câmeras mais atuais, ele pode fazer o rastreamento do olho mais próximo e garantir o foco um pouco mais cravado.

Ligue a correção de distorções

Se você vai fazer retratos com objetivas telefoto (acima de 85mm) ou grande angulares (de 35mm pra baixo), convém ativar a correção de distorções para a sua lente.

As distorções das lentes são comumente usadas, de forma criativa, por muitos fotógrafos. Mas, se não for esta a sua intenção, é melhor removê-las através do sistema interno de correção da sua máquina.

Note que a correção só é válida para imagens em JPG e, usualmente, só vai estar disponível para lentes da mesma marca da sua câmera.

A correção de distorção está dentro do menu de correção de aberrações ópticas. Ela corrige o efeito de “barril” e de “almofada”, causado pelas lentes grande angulares e telefoto.

Se quiser entender melhor o que são as aberrações ópticas e como usá-las a seu favor, leia este texto.

Leia mais artigos sobre fotografia. Assine a newsletter do site, para receber atualizações.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.