O suporte profissional durante as olimpíadas – as salas de equipamentos

publicado

Canon, Nikon e Sony, cada qual, tem seu programa de suporte aos profissionais de fotografia e videografia

Durante os grandes eventos esportivos — como as olimpíadas, as copas etc –, os programas de suporte reservam espaços amplos, com depósitos de câmeras, lentes, flashes etc. e técnicos para dar a assistência necessária aos profissionais de imagem.

Em eventos esportivos, os equipamentos são usados até seus limites. A fotografia de esportes, ao lado da de vida selvagem, é provavelmente, a que mais leva as máquinas aos extremos de suas capacidades.

Não basta ser uma super teleobjetiva. A lente precisa ter nitidez absurda e um motor de autofoco extraordinariamente preciso e rápido.

Não basta ser uma câmera com capacidade de registrar três dezenas de fotos em um segundo. Precisa cravar o foco no assunto para mostrar o momento decisivo de maneira impecável.

As câmeras e lentes produzidas para atender o segmento dos esportes e vida selvagem podem ser mais caras, por um lado, mas são as mais robustas e com maior a capacidade tecnológica embarcada.

Muitas destas câmeras e lentes não costumam quebrar fácil, mesmo que sejam derrubadas ou que sofram outros tipos de impactos. Ainda assim, as empresas deixam suas equipes à disposição — bem como acervos volumosos de equipamentos de reposição, para empréstimo/aluguel — durante os jogos, para não permitir que fotógrafos e videógrafos fiquem sem trabalhar, em casos de acidentes.

Este tipo de ocasião também é usado para testar equipamentos em condições radicais de trabalho, como nas olimpíadas de Tóquio, em que a Canon pediu para que um fotógrafo testasse um protótipo da EOS R3.

Os grandes eventos esportivos também são usados como vitrines, para mostrar o créme de la créme da indústria de imagens.

Se quiser saber o que “os profissionais” estão usando atualmente, olhe para as últimas olimpíadas ou para a copa do mundo (de futebol) mais recente.

O Nikon Professional Service

Imagem da propaganda do serviço de suporte aos profissionais Nikon.

Nem todos os profissionais, que usam equipamentos da marca são elegíveis a um dos planos de afiliados da marca. Para quem tem sorte, as salas de “ferramentas” são um colírio para os olhos.

Tem link para mais imagens, no final.

O serviço de apoio a profissionais Canon

Para os jogos olímpicos de inverno, em PyeongChang, Coréia do Sul (2018), a Canon Professional Services, ou CPS, levou 60 técnicos para reparos e lotou seu depósito com os melhores equipamentos.

Segundo a empresa, havia 1359 itens disponíveis. Dentre os quais, 205 câmeras e 520 lentes para os membros do CPS.

A Sony entrou no jogo em 2020

As olimpíadas de Toquio/2020 (adiadas para Julho/2021, em função da pandemia), marcaram a primeira participação da Sony, com o seu serviço de suporte a profissionais.

Só para registrar, a empresa também esteve presente nos jogos de inverno (2018), mas era em um escritório alugado nas proximidades da vila dos jornalistas. Portanto, ainda não estavam “dentro”.

Veja as imagens, tiradas por Dave Holland, da sala da Sony Pro Services, abaixo.

O apoio das agências de imagens e notícias

Não são apenas as grandes marcas de câmeras e lentes que dão suporte e mantém arsenais de equipamentos armazenados e prontos para entrar em operação, pelas mãos dos profissionais escolhidos.

Agências, como a Getty Images, entre vários outros veículos da mídia, também mantém estoques de ferramentas, que pode incluir tripés, flashes etc.

Nas olimpíadas do Rio de Janeiro, 2016, a Getty tinha uma sala para atender aos seus profissionais, com centenas de câmeras e lentes da Canon.

As olimpíadas de Tóquio, em 2020

Tradicionalmente, as empresas alugam seus equipamentos (ou emprestam, a depender da sua importância profissional para a marca). Ou seja, você não precisaria viajar com uma 400mm f/2.8 — poderia apenas alugar, no centro de suporte ao qual você está afiliado, assim que chegar ao local.

Desta forma, é possível embarcar e desembarcar com muito mais agilidade e leveza.

Nas olimpíadas de Tóquio, a prática foi suspensa, por questões sanitárias (muita coisa ficou “quebrada” no ano da pandemia…). Portanto, em 2021, a recomendação era que cada fotógrafo trouxesse seu próprio equipamento para trabalhar. Em caso de necessidade específica, ainda poderiam recorrer aos serviços de suporte.

Assine a newsletter para saber quando há atualizações no blog:

Referências

Quer ver mais imagens da gear room da Nikon nas Olimpíadas de 2021, em Tóquio? Clique aqui.

Mais imagens de um dos arsenais da Canon, nos jogos olímpicos, aqui.

O site digitalphotopro tem mais imagens do CPS (Canon) em Tóquio, 2021.

As imagens da sala Sony, por Dave Holland.

Post da Petapixel, mostrando a sala da Getty Images.

Post da Petapixel, mostrando a sala da Canon, nas olimpíadas do Rio, em 2016.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.