Como fazer fotografia HDR com o celular?

publicado

O HDR é uma sigla para High Dynamic Range (ou Grande Alcance Dinâmico).

O nome pode parecer complicado, mas envolve um recurso ou uma técnica muito simples — e vale para qualquer tipo de câmera, seja a do seu celular ou uma câmera dedicada (DSLR, mirrorless etc).

O HDR é uma solução para um problema antigo — os sensores ainda não têm a mesma capacidade do olho humano de obter detalhes de áreas mais escuras e mais claras, ao mesmo tempo.

Como funciona o HDR

A solução, do HDR, consiste em tirar uma foto superesposta, para obter mais detalhes das áreas escuras; outra foto subexposta, para obter mais detalhes das áreas mais claras

Por fim, é tirada uma foto com a exposição “normal” ou intermediária.

O software da câmera junta as 3 imagens em uma só — obtendo uma foto mais detalhada e com uma gama de cores maior.

Câmeras que permitem um controle manual, podem também tirar uma quantidade maior de amostras, para obter um resultado final mais rico em detalhes e cores e com transições mais suaves das áreas mais escuras para as claras.

Imagem 1 — Observe que, embaixo, os bonecos estão razoavelmente bem expostos e dá para ver os seus detalhes. Já, no canto superior direito, a janela está super exposta e todos os detalhes das árvores, lá fora, estão perdidos.
Imagem 2 — Aqui, ocorre o contrário: para obter os detalhes das árvores, do lado de fora da janela, perdi a maior parte das informações no restante da imagem.

Com a técnica do HDR, posso mesclar as duas imagens — e obter uma imagem final, com mais detalhamento.

Imagem 3 — Para obter a imagem final, fiz uma mescla manual das duas outras imagens. Note que ainda há perda significativa de contraste — que, geralmente, o software da câmera resolve. Isto é apenas um exemplo bem rudimentar.

Como capturar uma foto em HDR?

Procure, na câmera do seu celular, pelo controle do HDR. Usualmente, ele é automático — ligado ou desligado. Em algumas câmeras, é preciso desligar o flash, para poder usar a função HDR do smartphone.

Existe também a função Auto-HDR, em que o software da câmera do seu celular decide — depois de analisar a cena — se é o caso de usar ou não a função de alto alcance dinâmico.

Quando eu devo usar o HDR?

Se você não quiser usar o Auto-HDR, para decidir por sua própria conta, toda vez que estiver diante de uma situação em que há áreas muito iluminadas e áreas muito escuras, use o recurso. Ele foi feito para este tipo de situação.

Também é muito útil em fotografias contra a luz — em que o programa da câmera cria uma imagem balanceada.

Fotos de paisagens também podem se beneficiar muito do recurso, por que comumente têm uma gama de cores e luz muito grande.

Na fotografia de paisagem, é comum o céu precisar de certas configurações de exposição enquanto os elementos da foto precisam de outras. Então, você acaba tendo que escolher o que prefere que fique bem exposto.

Com o recurso de HDR, esta escolha não precisa existir.

Os problemas ao usar o HDR

Existem alguns desafios, para conseguir obter imagens perfeitas em HDR. O movimento é o maior destes obstáculos.

Como serão tiradas, pelo menos 2 ou 3 fotografias, para criar 1 imagem final, é necessário que os objetos fotografados não se mexam durante a foto.

Pessoas correndo ou fazendo qualquer outro movimento, infelizmente não é o cenário ideal.

Paisagem ou fotos da natureza, quando tem vento, também vai causar alguns problemas.

Usualmente, as nuvens não se movem tão rápido a ponto de criar borrões de movimento na sua foto. Mas as árvores e as flores, respondem muito rápido à ação do vento e estas inconsistências irão ficar bem claras na sua imagem.

Se você vai postar apenas no Instagram e não pretende recortar a imagem, pequenos movimentos jamais serão notados — estatisticamente, as pessoas olham as fotos por aproximadamente 3 segundos e seguem em frente. Neste ritmo, é pouco provável que percebam alguns erros. O Instagram é o paraíso das fotos ruins 😉

Contudo, se quiser obter fotos perfeitas, em HDR, use um tripé ou apoie o seu celular em algum local seguro, pra fazer suas fotos e diminuir as chances de obter imagens borradas.

Isso pode garantir uma imagem em HDR perfeita, de uma paisagem, de um prédio ou, até mesmo, de uma pessoa.

Fotos de nuvens também podem ficar muito interessantes em HDR. Experimente!

Quando não usar o HDR nas suas fotos

Cachorro e criança correndo… esquece! 😉

Se você quer obter a foto de uma silhueta, vai precisar do máximo de contraste que puder obter — que é o oposto do processo em HDR.

Cenas que já possuem uma gama (variedade) de cores fortes e vibrantes também não costumam funcionar bem com o HDR. Usualmente, nestes casos, você vai obter imagens beirando o “irreal” — mas, se for este o efeito desejado, então não há problema algum, claro.

Retratos também não costumam ficar bem em HDR. Vale a pena evitar nestes casos, também.

Leia mais sobre fotografia com o celular:

Conclusão

A fotografia em HDR é uma das mais divertidas, que você pode fazer com qualquer câmera. Experimente as mais variadas situações — as flores no seu quintal, as nuvens no céu, as paisagens ao seu redor, os prédios da sua cidade, os monumentos das praças.

Mesmo eu tendo aconselhado o contrário, acima, vale experimentar também fazer retratos de pessoas em HDR.

Para não perder o próximo post, sobre fotografia, se inscreva no blog!

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.