Como fazer foco por zona?

A técnica de focagem por zona foi sempre muito útil aos fotógrafos por permitir sacar a câmera, tirar as fotos e voltar pra casa (ou pra redação do jornal) com o seu assunto em foco.

A técnica depende de uma ferramenta, presente em algumas lentes, que é a janelinha de escala de distância.

A janela de escala de distâncias, na lente Canon EF 24-105 f/4 L USM

Usando o celular ou uma das lentes mais modernas — que não têm qualquer indicação da escala de distância — também é possível usar este método de focalização.

Chama-se de focalização por zonas, por que você deve determinar a zona em que seu foco sempre vai estar — por exemplo a 3 metros de distância.

Funciona assim: Desligue o foco automático e selecione o foco manual. Em seguida, gire o anel de foco até a distância de 3 metros, por exemplo. Dali, pra frente, basta ter certeza de que o assunto está há 3m de distância e clicar.

Claro que você vai ter que exercitar os olhos por algum tempo, até o “olhômetro” ficar bem calibrado para detectar as distâncias na rua.

No celular, basta fixar o seu foco em um objeto qualquer na distância desejada. Usualmente, você “trava” o foco mantendo o dedo pressionado na tela por alguns segundos (até aparecer um cadeado).

foco manual
Escala de distância, para manual, ou foco por zona, no celular.

Com o tempo, você aprende a “bater o olho” no seu assunto e determinar se ele está dentro da zona de foco ou não — se você precisa dar um passo pra frente ou pra trás etc.

Outra coisa importante, é usar aberturas menores, entre f 8 e f 16, para ter uma profundidade de campo maior — ou seja, uma área maior com foco aceitável.

Vantagens de fazer o foco por zona

Uma das vantagens da técnica é que ela pode dar uma velocidade impressionante ao seu fluxo de trabalho (ou entretenimento) na fotografia de rua, no fotojornalismo etc — que são categorias em que os eventos acontecem de maneira imprevisível e muito rápida.

Um dos fatores que mais tomam tempo, antes de fazer o disparo, é justamente o foco.

Ao dominar esta técnica, você não precisa nem levar a câmera ao olho. Pode clicar da sua cintura.

Depois que você dominar a técnica, o assunto simplesmente sempre vai estar em foco. Você só precisa se preocupar em capturar o momento e fazer a composição.

Outro ganho, eventual, é a discrição — que costuma ser muito importante na fotografia de rua. Com o domínio deste método, você não precisa mais olhar para a tela da câmera ou do celular, para conferir se tudo está como devia — o que te deixa livre para posicionar o equipamento de uma maneira mais discreta.

As desvantagens

Infelizmente, é muito difícil ter a precisão para fazer o foco perfeito em grandes aberturas de diafragma. A profundidade de campo — ou seja, a zona de foco –, em aberturas grandes, como f 4, f 2.8 etc é muito estreita.

Para iniciantes, vai funcionar melhor aos f 16. Com bastante prática, você vai chegar a fazer fotos com excelente foco em aberturas maiores.

Saiba como acompanhar as novidades do site.

Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Russian Doll". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Post comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: