Story: usando um filtro polarizador para fotografar nuvens

publicado

A redução do brilho da superfície da água ou outros tipos de raios de luz polarizada, pode ser obtida com os filtros polarizadores, por exemplo. Este tipo de trabalho não pode ser feito na pós-produção.

Além de filtrar os raios polarizados (como os seus óculos escuros), os filtros ajudam a escurecer um pouco o céu, dando mais ênfase às nuvens.

Os filtros polarizadores (ou CPL) não costumam ser caros e você consegue obter o mesmo efeito dos itens mais caros nos mais baratos.

O diferencial dos filtros mais caros costuma ser o controle mais rigoroso de qualidade, além do acréscimo de camadas repelentes de gordura, poeira e maior resistência a arranhões.

O controle de qualidade dos fabricantes dos filtros mais caros — como Schneider-Kreuznach, Tiffen, Hoya etc — garante que a imagem não seja degradada ao passar pelo vidro.

Já, as camadas extra de proteção química ajudam a poupar tempo com limpeza.

Outra coisa que vale lembrar, é que filtros não perdem a validade e são itens que você pode (deve) comprar sempre usados. Desde que não estejam arranhados, claro.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.