As redes sociais para os fotógrafos

publicado

Gostando ou não, as mídias sociais podem, sim, ser boas ferramentas para os fotógrafos profissionais — e de diversas formas.

Também pode trazer benefícios concretos para iniciantes, entusiastas e amadores(as).

O recurso possibilita que pessoas de lados opostos do mundo se conectem. Acompanhar artistas que nos inspiram, nunca foi tão fácil. E isso pode ser maravilhoso tanto para artistas quanto admiradores.

As redes sociais também facilitam muito o contato entre clientes e profissionais.

Mas a gente precisa prestar a atenção a alguns problemas…

O sucesso e a carreira não se restringe às redes sociais

É inegável que muitos profissionais importantes, na indústria da fotografia, estão indo muito bem sem ter qualquer presença relevante nas redes sociais — especialmente aqueles que já tinham nomes estabelecidos, muito antes do hype.

Fotografia abstrata. Canon EOS 6D Mark II, Canon EF 50mm f/1.8 STM © Elias Praciano.

Independente de terem perfis públicos, o velho e bom “boca a boca” e as recomendações é o que mantém os negócios destes grandes fotógrafos. As redes sociais podem ou não, direta ou indiretamente ampliar seu alcance.

Outra coisa: o desempenho nas redes sociais não é uma medida válida para o talento de alguém. No máximo, medem a sua capacidade de lidar com um determinado tipo de algoritmo. A qualidade da sua fotografia é outra coisa, totalmente diferente.

O bom desempenho nas redes sociais depende de fatores alheios ao talento de alguém em qualquer área.

As plataformas rodam sobre uma enorme variedade de algoritmos, em constante mudança.

Os algoritmos que movem as engrenagens das redes sociais são obscuros e mudam o tempo todo. Entender seu funcionamento e perceber as mudanças é um “talento” à parte.

Lidar com estes algoritmos, para muitos, é um trabalho entendiante. Precisa estar atento, mantendo suas contas e a consistência nas postagens — além de dar atenção ao público e aos comentários. Separar tempo especificamente para isso, é fundamental aqui.

Muita gente extremamente talentosa definitivamente não tem tempo nem energia (ou paciência) para se dedicar às redes sociais.

Outro fator de sucesso nas plataformas é o tempo em que você está lá. Por exemplo, os que chegaram cedo ao Twitter, ao Instagram, ao TikTok ou qualquer outra têm (tiveram) grande chance de sucesso, simplesmente por que havia poucas contas semelhantes às suas. O Instagram, hoje, está simplesmente saturado de contas de fotógrafos.

Abrir uma conta numa plataforma saturada vai requerer uma dose cavalar de trabalho para obter algum destaque. É diferente de chegar no começo, quando não tem ninguém.

Claro que os esquemas de marketing podem afetar enormemente o seu alcance nas redes sociais. Muitas pessoas — especialmente “influenciadores” — possuem hordas de seguidores em função de estratégias usadas para atiçar as pessoas a segui-los(as). As estratégias podem envolver sorteios de produtos ou até mesmo métodos “pouco éticos” para obter mais atenção.

Por fim, mesmo as plataformas voltadas para imagens, vídeos e fotos não são dominadas por fotógrafos — mas por celebridades e influencers de todos os tipos. E nem todos têm o seu talento para fotografia. Na verdade, os talentos requeridos para o sucesso neste campo são outros — o que as invalida completamente como medida para avaliar se um conteúdo é bom ou não.

Não é possível usar as redes sociais como parâmetro de avaliação do sucesso ou do talento de alguém.

Como funcionam as redes para quem é fotógrafo amador?

Entusiastas e hobistas podem não valorizar muito as redes como ferramenta de marketing, mas podem se beneficiar de outras formas.

As plataformas podem estabelecer pontes entre profissionais e amadores, entre entusiastas com os mesmos interesses, entre estudantes e professores etc.

Note que muitos profissionais fazem marketing de conteúdo, ensinando técnicas de simples a avançadas, para alcançar um maior número de pessoas online — o que inclui outros fotógrafos.

Sendo profissional ou amador, o talento não reside aí. Qualquer que seja o seu caso, trabalhos talentosos merecem ser vistos e as redes sociais podem tornar isso possível — ou deveriam tornar isso possível, pelo menos.

Fotografia abstrata. Canon EOS 6D Mark II, Canon EF 50mm f/1.8 STM © Elias Praciano.

A rede social é uma ferramenta

Tal como o celular, a câmera dedicada, a lente ou um tripé, a rede social é uma ferramenta. Sob certo ponto de vista, o que a torna boa ou ruim, é a maneira como você a usa.

Para novatos, procurando aprender mais, pode ser útil. Para quem procura por clientes, também.

Ser eficiente no uso das redes sociais pode ampliar a sua visibilidade. Pagar pela visibilidade, dentro de certos limites, pode ser ainda mais eficiente.

Seja qual for a sua opção, só não permita que o lado ruim das plataformas, destrua a sua paixão e o seu entusiasmo pela fotografia.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.