Facebook vs Instagram: Qual é o melhor para os seus negócios.

facebook app
Photo by Solen Feyissa on Unsplash
publicado

Se você tem perfil profissional nas duas plataformas e uma delas (ou ambas) dá mais retorno e ajuda a fechar mais negócios, o melhor é continuar a trabalhar com as duas.

… a menos que estejam dando mais trabalho que retorno financeiro.

Eu entendo que nem sempre é tão fácil decidir. Embora pertençam à mesma empresa, cada uma tem ferramentas internas e dinâmicas diferentes.

Públicos diferentes

No momento em que escrevo, o público mais maduro prefere o Facebook e os mais jovens gostam mais do Instagram e do Tik Tok. Fique atento, por que estes dados podem mudar de um ano para outro.

Se os seus clientes ou potenciais clientes estão distribuídos entre as duas plataformas, infelizmente, você vai ter que “trabalhar dobrado” nas redes sociais. Não dá para abrir, facilmente, mão de uma em relação à outra.

As diferenças entre o Facebook e o Instagram

Eu migrei do Facebook para o Instagram, de uns anos pra cá, por causa do excesso de notícias (boas, ruins ou neutras), no feed.

O Facebook, contudo, tem ferramentas internas que podem ajudar muito mais do que o Instagram:

  • Permite ter grupos, aonde as pessoas podem se reunir em torno de interesses específicos
  • Os grupos permitem escapar do “excesso de (des)informações” que aparece no feed principal
  • A plataforma permite posts com links para outros sites — o que possibilita mostrar melhor o seu portfólio ou o seu produto em outro espaço que tenha sido projetado especificamente para ele.
  • Trabalhar dentro dos grupos, dá a oportunidade de estar em contato com as pessoas que têm interesses legítimos nos seus produtos.

Já o Instagram funciona como um aquário — impedindo ostensivamente interações fora dele.

Há quem alegue que o Facebook e o Twitter também criem obstáculos, internamente, para quem posta sites fora da plataforma, diminuindo o alcance dos posts contendo links externos. Paciência…

Você precisa entender as plataformas

Elas foram criadas para dar lucro para si mesmas e não para você. Esta é a premissa.

Dance conforme a música. Se você pagar para um post obter maior alcance, estará seguindo a lógica da plataforma.

O tal “crescimento orgânico” é algo que contraria os interesses de qualquer plataforma de redes sociais.

Facebook, Google, Twitter etc. — elas querem todo o dinheiro que as empresas gastavam com propaganda em jornais, rádio e TV.

Resumindo, o seu negócio vai ter que gastar para aparecer.

Quando você não está pagando, você é o produto.

Em um programa de TV, em 1973, os artistas Richard Serra e Carlota Fay Schoolman foram os primeiros a afirmar isso — só que se referiam à televisão e não à Internet.

A Internet tornou esta realidade ainda mais massacrante. As empresas de plataformas de redes sociais trabalham para seus acionistas e não para você. No momento atual, esta regra não vai mudar, nem que você passe a pagar pelos seus posts.

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.