Vale a pena comprar a lente Sigma 24-70 f/2.8 IF EX DG HSM hoje?

publicado

Em 2019, eu estava procurando (e guardando dinheiro) por uma lente com uma distância focal entre 24mm e 105mm.

As que estavam no meu radar eram a Canon EF 24-105mm f/3.5-5.6 IS STM (nova) ou a Canon EF 24-105mm f/4L IS USM (a primeira versão, usada).

No início do “pandêmico ano de 2020”, uma amiga, fotógrafa de casamentos (a Jéssica), me perguntou se queria dar uma olhada na Sigma 24-70mm f/2.8 IF EX DG HSM dela. Avisou que tinha “um probleminha” no diafragma, que ficava emperrado em f/5.6. O valor pedido era próximo de 200 dólares.

Não era, exatamente, o que eu tinha em mente, mas podia ser uma oportunidade. E eu só precisava experimentar, sem qualquer compromisso.

A princípio poderia ser uma lente barata para fazer fotografia de rua e eu teria finalmente um ângulo mais aberto para explorar. Futuramente, poderia tentar consertar o problema no diafragma, o que expandiria ainda mais as possibilidades da objetiva.

Para contextualizar, no começo de 2019, eu tinha acabado de migrar para “full frame” e só tinha a EF 75-300mm e “a cinquentinha”.

Fazia falta ter um ângulo mais aberto para fotografar.

Peguei para experimentar, sem prazo pra devolver. Uma semana é mais que suficiente para decidir estas coisas.

Levei o equipamento para “um carinha” de uma assistência técnica e ele me disse que com a troca do cabo flat o diafragma voltaria a ficar OK — por um valor equivalente a 50 dólares. Com isso, a lente chegava aos 250 dólares — o que, na minha opinião, não era nem caro, nem barato.

A partir daí, comecei a achar que valia a pena — “se amanhã não for nada disso… eu vendo e volto ao plano inicial! Por enquanto vou comprar, consertar e usar.”

O “carinha” da assistência encomendou a peça de reposição em um site chinês, que demorou quase 3 meses para chegar — chegou junto com a pandemia (no Brasil), em Março de 2020.

A câmera tem recursos escondidos que, usualmente, não são perceptíveis em uma primeira análise.

Aspectos técnicos da Sigma 24-70mm f/2.8 IF EX DG HSM

O projeto tem tamanho compacto, que envolve 3 elementos de vidro asférico, para correção de distorções. Além disso, possui elementos de vidro de baixa dispersão para oferecer máxima correção de cores e nitidez em qualquer distância focal.Leia o meu review completo da objetiva, se quiser saber mais detalhes técnicos.

Eventuais aberrações óticas ou cromáticas e as distorções — comuns a todas as lentes, podem ser corrigidas com o software da sua própria câmera, se você faz suas fotos em JPG.

Quem prefere registrar suas imagens em RAW, pode aplicar as correções automaticamente na pós — eu uso o DarkTable para isso.

O que quer dizer este nome enorme e tão pomposo?

De acordo com a fabricante…

  • 24-70mm, é a variação da distância focal, de 24mm a 70mm
  • f/2.8, é a abertura máxima do diafragma em qualquer distância focal
  • IF, é uma sigla, que corrresponde a Internal Focus — ou seja, o cano da lente não se estende quando você faz o foco. Em outras palavras, o comprimento da lente não muda e o elemento frontal não gira (ótimo para quem pretende usar qualquer tipo de filtro).
  • EX, se refere a um acabamento externo de excelência estética.
  • DG, é uma nomenclatura para designar lentes projetadas para sensores full frame.
  • HSM, por fim, são as iniciais do motor de autofoco — HyperSonic Motor.

O sistema de focalização interno colabora para evitar a entrada de sujeiras na parte interna do equipamento, mas não há proteção especial contra os elementos (weather sealing) — embora eu acredite que, nesta categoria, deveria haver.

Para que situações a Sigma 24-70mm é indicada?

Trata-se de um projeto concebido para uso em câmeras full frame digitais, para uso profissional em fotografia de eventos e retratos.

Lentes nesta categoria “24-70mm f/2.8” são indicadas para eventos em condições difíceis de luminosidade, casamentos, ensaios, paisagens, eventos em família, entre outros.

Em câmeras com sensor APS-C, ela vai oferecer uma perspectiva equivalente a 36-112mm, o que pode ser muito fechado para alguns eventos em locais pequenos.

Eu uso a minha em uma Canon EOS 6D Mark II (full frame) para fotografia de rua (especialmente à noite), viagens, eventos, ensaios e retratos.

A objetiva Sigma 24-70mm, com parasol tulipa, montada na Canon EOS 6D Mark II.

Trata-se de um projeto sério e consistente de lente para uso profissional em câmeras full frame.

Com quais lentes podemos comparar a Sigma 24-70mm f/2.8 IF EX DG HSM?

É uma pergunta difícil de responder — especialmente pra mim, por que não experimentei outras lentes desta categoria, mas posso tentar me basear pelos reviews de terceiros e nas próprias especificações dos fabricantes.

Sendo uma lente lançada em Setembro de 2008, é um projeto que caminha para 13 anos em 2021. A minha cópia deve ter menos de 7 anos, contudo. Se levarmos em conta que sua substituta, a Sigma 24-70mm F2.8 DG OS HSM Art, só foi lançada em 2017, é possível encontrar objetivas com menos de 5 anos de uso, ainda em 2021.

Para quem usa o mount da Canon, há basicamente 2 projetos concorrentes, da mesma época:

A segunda opção (Tamron) tem uma vantagem exclusiva: estabilização óptica.

Imagem das 3 lentes alinhadas, no site camerasize.com. A Sigma 24-70mm f/2.8 IF EX DG HSM é a do meio: menor e mais leve.

O que eu não gosto na lente

Pessoalmente, não me importo muito com uma grande abertura do diafragma e provavelmente seria mais feliz com uma 24-105mm f/4 — os 50% a mais na distância focal é algo que me interessaria mais do que a possibilidade de fotografar a f/2.8.

Em resumo, acho a lente limitada na sua distância focal máxima.

O que eu gosto nesta objetiva

Embora eu não faça questão de usar a abertura máxima do diafragma, a f/2.8… eu uso e muito! 😉

O recurso facilita muito fazer imagens durante a noite, sem precisar recorrer a flash e a tripé. Na rua isso significa muito pra mim.

O bokeh da Sigma 24-70mm f/2.8mm IF EX DG HSM

Com uma abertura destas… a gente precisa falar do bokeh.

Eu sou bastante apaixonado pelo bokeh das lentes Sigma e, com 9 lâminas na abertura do diafragma, esta objetiva garante um efeito suave, consistente e bonito.

A Sigma 30mm para câmeras com sensor APS-C é uma jóia cada vez mais rara — mas não é cara!

Conclusão

A Sigma 24-70mm montada na Canon EOS 6D Mark II.

A Sigma 24-70mm f/2.8 IF EX DG HSM, na minha humilde opinião, continua sendo um equipamento relevante e uma boa compra. Se estiver em condições impecáveis, pode valer no máximo US$ 500. Não pague mais do que isso.

Como equipamento de uso diário e intenso, a lente não me decepcionou.

Talvez eu tenha tido muita sorte, mas o fato é que a minha cópia não precisou de qualquer ajuste do autofoco e sempre esteve pronta para qualquer aventura ou evento, desde que voltou da assistência.

Embora eu nunca tenha derrubado uma lente, a minha Sigma 24-70, chegou com uma rachadura no vidro frontal e com sinais de desgaste e uso intenso — além do problema no diafragma. É possível que tenha sido um pouco judiada pela dona anterior e sofrido alguns acidentes — fotografar casamentos, não é um passeio no parque.

A construção de plástico robusta e sólida, certamente, ajuda o equipamento a atravessar o contexto do trabalho intenso e extremo, mantendo a qualidade das suas imagens.

Se você quer ser avisado(a), quando sair um novo post sobre fotografia ou um review interessante de câmera ou lente, assine a newsletter do site:

Por Elias Praciano

— fã de séries, como "Love, Death & Robots", "Rick and Morty" e "Ray Donovan". Gosta de criar imagens, direto da câmera, com o mínimo de pós-produção. Há vários anos o seu livro favorito é Neuromancer, de William Gibson.