Como assistir a pornô eticamente

Ver conteúdo erótico ou sexualmente explícito é normal e sempre fez parte história da humanidade.
Muitas pessoas assistem a filmes ou vídeos pornôs, pelo menos ocasionalmente — tanto homens quanto mulheres.
Ao mesmo tempo, muitas se sentem culpadas e desconfortáveis com este comportamento — consigo mesmas e/ou com outras pessoas.
Parte significativa deste desconforto é causado por razões religiosas — que não será o foco deste texto.
Entre as razões de se sentir culpado(a), uma é estar se dando alguns momentos de prazer quando deveria estar trabalhando ou fazendo algo “mais produtivo”, por exemplo. Principalmente se você é do tipo que demora para encontrar “o vídeo perfeito”.

Se você se preocupa com questões sobre a idade dos(as) participantes nos filmes, sobre as suas condições de trabalho ou de atuação e se estão realmente gostando do que estão fazendo — esta será a abordagem deste texto.

Mesmo gostando de “sexo indecente”, há maneiras decentes de escolher e assistir a pornografia online.
Tal como a sua alimentação, é possível se educar para gostar de ver pornô feito com ética e respeito entre os(as) participantes — ao mesmo tempo em que você mantém suas preferências.
Você vai precisar ter alguma força de vontade. Mas vai valer a pena ficar distante de conteúdo duvidoso.
Evitar material de origem dúbia pode deixar você em paz com sua consciência e, se você usa Windows, reduzir as chances de contaminação por vírus no computador.
Levar a sério estas questões, vai ajudar (muito) você a assistir a suas cenas prediletas com segurança, inclusive.
Ter momentos de prazer e não precisar ter que explicar nada a ninguém depois é muito bom, não é? E este objetivo é plenamente alcançável.

A busca ética

Use um mecanismo de busca especializado, no lugar do Google.
A sugestão é o Boodigo.
Este mecanismo não cria dificuldades para você chegar ao conteúdo que deseja, diferente de outros.
Criado por um ex-funcionário do Google, o Boodigo foi concebido para ajudar a encontrar os sites adultos, com os termos que você pesquisou.
O Boodigo não irá mostrar “artigos da Wikipedia” sobre a prática sexual que você digitou na caixa de busca.
Ele vai direto aos sites que fornecem os fetiches e as fantasias que te interessam.
Ao mesmo tempo, ele filtra sites que contenham mídias pirateadas, que apresentem menores ou atos ilegais.
Se você curte BDSM, por exemplo, o search engine Boodigo ajuda chegar a sites de sexo, onde sua prática envolve adultos, atuando com consentimento mútuo.
Para quem é fã de um determinado estúdio pornô, uma forma de melhorar suas buscas é ir direto ao site — assim você evita as imitações ou cópias não autorizadas.

Longe de querer repetir o discurso anti-cópia ou de proteção de direitos autorais da indústria do entretenimento, quero discutir meios de nos relacionar eticamente com as pessoas envolvidas na produção de conteúdo adulto.

Faça as suas pesquisas — mas faça isso na hora certa

Ir ao supermercado, para fazer compras, com fome é a melhor fórmula para comprar errado e fazer péssimas escolhas alimentares.
Analogamente, pesquisar pornografia na Internet, quando se está “morrendo de tesão”, só vai trazer escolhas feitas por impulso.
Fazer a busca por sites adultos éticos requer algum tempo e uma boa dose de racionalidade.
Coloque as páginas que preenchem os seus critérios nos seus favoritos (no PC ou no dispositivo móvel) para, na próxima vez em que “bater a urgência”, ficar fácil encontrar o que você gosta.
O site Ant.com video downloader, além de um plug in incrível para fazer downloads de vídeos de vários sites, possui um gerenciador de páginas favoritas.
Se você divide o computador com seu(sua) parceiro(a), usar um gestor de bookmarks (favoritos) externo pode ser uma opção melhor.
Ao pesquisar, tenha em mente que o seu ator e sua atriz favoritos provavelmente têm seus próprios sites de conteúdo.
Portanto, que tal se inscrever lá?
Além de dar mais dinheiro diretamente para o(a) profissional que você curte, ainda terá conteúdo garantido deles(as).
Sites oficiais de atores e atrizes costumam ter parceria com outros sites. A depender do tipo de parceria, é possível que o cliente de um possa acessar o conteúdo de outro, sem ter que pagar nada a mais.
Alguns profissionais oferecem live cam shows ou exibições de câmera ao vivo para seus membros. Outros oferecem exibições exclusivas, por uma taxa — o que te dá uma chance de ver uma performance feita especialmente para você.

A prática de vender conteúdo pornô (entre outros produtos), em seus websites oficiais, é mais comum entre atores e atrizes estrangeiros do que entre os brasileiros.
Ainda assim, é possível obter muito conteúdo nacional direto dos sites das produtoras.

Informe-se sobre os seus sites pornô

Mais do que dos direitos autorais, quando falo em pirataria e cópias ilegais, neste texto, me refiro aos direitos das pessoas que atuam nos filmes.
Filmes pornô, neste ponto, não são diferentes de outros produtos. Se você não paga por eles, como vai ter certeza de que os(as) profissionais que atuaram receberam justamente e foram tratados(as) adequadamente durante o processo?

“O único momento em que me senti explorada, na pornografia, foi através da pirataria.” — Jiz Lee, atriz pornô.

Sites gratuitos tem que se sustentar de alguma forma e, quando não têm uma estrutura profissional para se manter, podem ter falhas de segurança sérias e que podem ser transferidas e afetar o seu computador.
Estes sites recebem dinheiro através da publicidade (em excesso, muitas vezes) e não repassam absolutamente nada para os profissionais que atuam nos vídeos.
Por isto, é sempre melhor assistir aos vídeos das Brasileirinhas, só para citar um exemplo, no site das Brasileirinhas.
Baixar pornô via torrent, pode ser um meio mais seguro para você. Mas, novamente, esbarramos na questão ética: é correto as pessoas trabalharem para te agradar e não receberem?

E o pornô amador?

As principais questões éticas, levantadas até agora, não deixam de ser aplicáveis a conteúdo pornográfico amador — que tem legiões de fãs legítimos.
As pessoas envolvidas são todas adultas? Há consentimento mútuo? Todas sabem que estão sendo filmadas e que o conteúdo da filmagem será postado publicamente?!
Então tá tudo bem, não é?
Mas… como ter certeza de que estes quesitos estão sendo cumpridos?
Obviamente, conteúdo que tenha “caiu na rede” na descrição não parece ser algo que todos os(as) participantes tenham concordado em divulgar. Convenhamos.
Você sabe que não deve incentivar (assistindo), nem jamais compartilhar este tipo de conteúdo.
Gravar a intimidade das pessoas e expô-las publicamente é criminoso e profundamente antiético.

Se, por um lado, o pornô amador mostra pessoas comuns, fazendo sexo (que a gente supõe) genuinamente por prazer — por outro lado, traz consigo alguns dilemas éticos importantes: todo(as) sabem que foram filmados(as) e concordaram com a exposição pública?

As produtoras de filmes profissionais e os grandes estúdios também produzem e distribuem conteúdo amador e podem ser fonte confiável desta categoria.
Grandes sites, do tipo tube ou galore (galerias de vídeos) possuem a categoria Amadora listada.
Por que eu deveria pagar para ver pornô amador?
É simples. Embora não se espere que os atores, desta categoria, recebam por sua atuação — espera-se que o site faça a verificação de que seus vídeos seguem as regras. Isto custa dinheiro.

Experimente o pornô feminista

Strictu sensu, pornô feminista não é “automaticamente” pornô ético. Mas pode estar mais próximo.
Tende a focalizar mais os atos sexuais no prazer da mulher e em todo o seu corpo.
Quer um exemplo? Já procurou por ‘foreplay‘ (preliminares) em sites pornô?! A maioria dos resultados contém cenas estendidas de homens recebendo sexo oral ou mulheres recebendo… de outras mulheres.
Ou seja, além de machista, o conteúdo tradicional costuma ser bastante ilógico.
Quer outro motivo? Se você é homem, pode usufruir do bônus de ter algo realmente diferente para assistir ao lado da sua parceira. Isto não vale a pena?

Referências

http://www.ibtimes.com.au/former-google-programmer-creates-ethical-porn-search-engine-boodigo-1370480.
http://uk.askmen.com/sex/sex_tips/how-to-watch-porn-ethically.html.